Notícia

Comércio Internacional

sexta, 12 de janeiro de 2018
EMPRESÁRIOS, LIDERANÇAS E DEPUTADO DEFINEM AGENDA PARA INÍCIO DE OPERAÇÕES DA ROTA DO MILHO

Encontrou aconteceu na noite de quarta-feira, 10 de janeiro, na sede da Ascoagrin, e tratou também sobre a agilidade nos trâmites da Aduana

 

Na noite de quarta-feira, 10 de janeiro, aconteceu um encontro, no auditório da Ascoagrin, para tratar sobre as ações que serão realizadas para marcar o início de operação da Rota do Milho.

Também foram tratados assuntos referentes à agilização do trâmite aduaneiro na Aduana de Dionísio Cerqueira.

O encontro teve a presença do presidente da Ascoagrin, Marcos Voltolini; do prefeito de Dionísio Cerqueira, Thyago Gnoatto Gonçalves; do deputado estadual de Santa Catarina, Marcos Vieira; do vice-presidente da Ascoagrin, Allan Krewtz, que é também vice-presidente da Federação das Associações Comerciais de Santa Catarina – FACISC, para o Programa Empreender; de um dos coordenadores das ações de implantação da Rota do Milho, Flávio Berté; representantes do Sebrae/SC e da Agência de Desenvolvimento Regional – ADR de Dionísio Cerqueira, vereadores, lideranças e empresários.

Marcos Voltolini destacou a importância do evento, para definir uma agenda de propostas e buscar as melhorias reivindicadas.

“A Rota do Milho vai significar um grande salto de desenvolvimento para a tri fronteira, a região e o estado, e precisamos estar preparados para esse momento. Com a Rota do milho, a Rota Bioceânica, por Dionísio Cerqueira, ganha solidez e para isso temos de fortalecer e agilizar a nossa Aduana”, afirmou.

Voltolini enfatizou ainda a importância do fato da Receita Federal de Dionísio Cerqueira ter passado do status de Inspetoria para Alfandega, ganhando em autonomia e jurisdição sobre esta região de fronteira, desde Capanema/PR até Itapiranga/SC.

Thiago Gnoatto Gonçalves enalteceu a importância da iniciativa, para tratar de questões preponderantes para a tri fronteira.

“A Aduana é a nossa ‘indústria sem chaminés’, e precisa ganhar em agilidade e estrutura para atender as novas demandas. O sucesso da Rota do Milho depende da Aduana. A passagem da Receita Federal local ao status de Alfandega foi um passo importante, bem como o processo de privatização da Aduana, que está em andamento, será decisivo para implementar as melhorias e avanços necessários”, salientou.

Flávio Berté Fez uma explanação de todos os passos dados até agora para a implantação da Rota do Milho.

Ele citou que a previsão do início do transporte é 9 de fevereiro, isso se a balsa, que fará a travessia dos caminhões no rio Paraná, for deslocada para o local até o dia 15 de janeiro.

“Caso contrário, o transporte inaugural da Rota fica para depois do Carnaval”, salientou.

Para a inauguração da Rota do Milho, serão feitas ações nos lados paraguaios e argentinos do Rio Paraná, um grande evento em Dionísio Cerqueira e outro em Chapecó, com a presença da grande mídia catarinense, para dar ampla visibilidade à Rota e ao porto de Dionísio Cerqueira.

O deputado Marcos Vieira destacou que esse é o momento de Dionísio Cerqueira dar esse salto na consolidação de rota do comércio internacional, e para isso é fundamental a integração entre as forças políticas e empresariais.

“É preciso uma posição mais crítica com relação à Aduana. É inadmissível que uma carga fique tantos dias à espera de um documento dos fiscais para entrar em nosso Estado. Isso está fazendo com que o os empresários tenham que escolher o Rio Grande do Sul ou o Paraná como local de entrada da importação, e nós vamos nos empenhar para solucionar essa questão”, afirmou o deputado.

Sobre os impactos da nova Rota do Milho, que trará o cereal do Paraguai, Marcos Vieira disse que isso vai revolucionar Santa Catarina, pois abre um caminho alternativo interoceânico.

“Imaginem o quanto de possibilidades Santa Catarina terá. Mas para isso precisamos também estruturar a Aduana em Paraíso e agilizar os procedimentos em Dionísio Cerqueira”, concluiu.

Fonte: Luiz Carlos Gnoatto